Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

ELVAS: Vila Galé encerra devido ao surto de COVID-19

O Vila Galé anunciou que devido ao surto de COVID-19 vai manter em funcionamento apenas sete hotéis em diferentes regiões de Portugal e para garantir alojamento em casos de "necessidades imperiosas", estando excluídas estadias de lazer.

Num comunicado publicado na sua página electrónica, o grupo comunica o encerramento da "maioria dos hotéis em Portugal" devido à situação de pandemia – numa decisão para já em vigor até 9 de Abril –, mas informa que, por uma questão de "apoio social", irá "manter em funcionamento sete hotéis dispersos pelas diferentes regiões do país para garantir a necessária cobertura nacional".

"Constatámos nos últimos dias que continua a existir um conjunto de profissionais no nosso país com necessidades de alojamento, sejam eles profissionais de empresas que não podem suspender os seus serviços para garantir os serviços mínimos necessários, ou clientes em trânsito que não conseguem voos de regresso", refere.

Para atender a estes casos, manter-se-ão assim em funcionamento, e com "um preço especial", as unidades Vila Galé Porto, Coimbra, Cascais, Ópera (Lisboa), Évora, Ampalius (Vilamoura) e Cerro Alagoa (Albufeira).

"Alertamos os nossos clientes que o objectivo será apenas garantir o alojamento daqueles que por necessidades imperiosas não podem deixar de o fazer, não se destinando nesta fase a estadias de lazer", sublinha o Vila Galé, acrescentando que "estas condições são igualmente aplicáveis aos clientes já alojados que necessitem de estender a sua estadia".

Paralelamente, o grupo afirma-se disponível para "celebrar protocolos e parcerias com entidades de saúde para suprir e ajudar em caso de necessidade".

Segundo refere, nas unidades que se mantêm em funcionamento estão implementadas medidas de prevenção e de reforço da higiene nos hotéis, de acordo com as directivas da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e do Governo português, nomeadamente a suspensão do funcionamento dos bares e restaurantes; a disponibilização de pequeno-almoço e jantar nos quartos e suspensão do funcionamento de "spas", saunas banhos turcos, "jacuzzis", piscinas e serviços de massagens.

O grupo hoteleiro informa ainda ter flexibilizado as políticas de cancelamento ou adiamento de reservas motivados pelo novo coronavírus, sendo possível fazê-lo "sem qualquer custo" e, nos casos de reservas pré-pagas, ficando o respectivo valor "em depósito para poder ser usado em data posterior".

"Prevemos que estas medidas estejam em vigor até 9 de Abril de 2020, sendo sujeitas a uma avaliação diária e sujeitas a alterações em função do evoluir das situações", acrescenta.

Já os hotéis do Vila Galé no Brasil mantêm-se em actividade sob "medidas adicionais de prevenção", praticando o grupo naquele mercado "uma política excepcional de cancelamento" que prevê que "qualquer reserva poderá ser cancelada sem qualquer custo até 48 horas antes da estada" e, nos casos de reservas pré-pagas, o depósito do valor para uso em data posterior.

O grupo Vila Galé é actualmente responsável pela gestão de 36 unidades hoteleiras: 27 em Portugal (Algarve, Beja, Évora, Elvas, Alter do Chão, Oeiras, Cascais, Sintra, Ericeira, Estoril, Lisboa, Coimbra, Serra da Estrela, Porto, Braga, Douro e Madeira) e nove no Brasil (Rio de Janeiro, Fortaleza, Caucaia, Salvador, Guarajuba, Pernambuco, Touros e Angra dos Reis), com um total de 7.454 quartos e 15.286 camas, segundo a informação disponível na sua página na internet. Segundo a mesma fonte, tem cerca de 3.200 funcionários.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infectou mais de 250 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 10.400 morreram. Das pessoas infectadas, mais de 89.000 recuperaram da doença.

Em Portugal, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de vítimas mortais do Covid-19 para seis e o número de casos confirmados 1.020, mais 235 do que na quinta-feira.

Portugal e Espanha vão fechar fronteiras

António Costa fez este domingo, dia 15 de Março, uma comunicação ao país, depois de uma reunião por videoconferência com Pedro Sánchez, primeiro-ministro de Espanha, e com Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República. O primeiro-ministro anunciou que os ministros da Saúde da União Europeia vão reunir-se esta segunda-feira para definir novas medidas para a fronteira externa, de forma a combater o surto de Covid-19.

Também esta segunda-feira, dia 16, os ministros da Administração Interna de Portugal e Espanha vão estar reunidos para definir novas regras para as fronteiras entre os dois países. A passagem de pessoas para efeitos de turismo e lazer ficará restrita e apenas será autorizada a circulação de mercadorias e de trabalhadores transfronteiriços.

Costa adiantou ainda que Marcelo Rebelo de Sousa vai convocar um Conselho de Estado para ter uma opinião alargada sobre o que é necessário para combater o novo coronavírus em Portugal. O primeiro-ministro esclareceu ainda que se o estado de emergência nacional for sugerido pelo Presidente da República, o Governo não se vai opor. No entanto, clarificou que não podem "esgotar as munições todas", já que verifica que "cansaço" já se nota noutros países.

Vila Galé vai iniciar progressivamente fecho de algumas unidades em Portugal

 
O Vila Galé vai iniciar progressivamente o encerramento de algumas unidades em Portugal, devido ao surto de Covid-19, disse fonte oficial do grupo hoteleiro, sem avançar mais pormenores.

"Face à situação relacionada com a Covid-19, o grupo Vila Galé vai iniciar progressivamente o encerramento de algumas unidades em Portugal, salvaguardando o bem-estar, saúde e segurança dos clientes alojados e dos colaboradores durante o período que seja necessário", disse fonte oficial em resposta à Lusa, sem acrescentar mais pormenores e referindo apenas que, "oportunamente, serão dadas mais informações".

O grupo Vila Galé é actualmente responsável pela gestão de 36 unidades hoteleiras: 27 em Portugal (Algarve, Beja, Évora, Elvas, Alter do Chão, Oeiras, Cascais, Sintra, Ericeira, Estoril, Lisboa, Coimbra, Serra da Estrela, Porto, Braga, Douro e Madeira) e nove no Brasil (Rio de Janeiro, Fortaleza, Caucaia, Salvador, Guarajuba, Pernambuco, Touros e Angra dos Reis), com um total de 7.454 quartos e 15.286 camas, segundo a informação disponível na sua página na internet.

Segundo a mesma fonte, tem cerca de 3.200 funcionários.

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detectado em Dezembro, na China, e já provocou mais de 5.700 mortos em todo o mundo.

O número de infectados ultrapassou as 151 mil pessoas, com casos registados em mais de 137 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 169 casos confirmados.
Faixa publicitária

ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´